Implantologia

Especialistas em Implantes Dentários

A Implantologia é um ramo da Medicina Dentária que se destina ao tratamento do edentulismo (ausência, parcial ou total, de dentes naturais) com reabilitações protéticas suportadas ou retidas por implantes dentários.

Especialistas

Dr. Tiago Silva

}

Horário

Quintas de manhã

OS IMPLANTES DENTÁRIOS MELHORAM A QUALIDADE DE VIDA. O QUE PERMITEM?

Restabelecer um conforto funcional, mitigando as dificuldades de mastigação e da fala.
Sendo mais estáveis do que as alternativas amovíveis, os implantes garantem uma melhor função mastigatória, facilitando assim a digestão dos alimentos. Permitem igualmente reencontrar uma fala normal.

Obter um bom resultado estético.
Os implantes substituem um ou diversos dentes, integrando-se de forma harmoniosa na boca e adaptando-se de forma ideal à boca. Os implantes têm um aspeto idêntico aos dentes vizinhos, preservando ao mesmo tempo o osso. Isto permite que o rosto do paciente conserve a sua forma e as suas expressões.

Manter a integridade dos dentes vizinhos evitando desgastá-los.
Em caso de colocação de pontes ou próteses amovíveis, os dentes vizinhos são desgastados. Graças aos implantes dentários, eles são preservados. Esta vantagem prolonga consideravelmente a sua duração de vida a longo prazo para estes dentes.

Garantir uma boa tolerância.
Os implantes são concebidos a partir de material biocompatível.
Evitam os efeitos indesejados associados às próteses amovíveis como instabilidade, ganchos, deterioração dos dentes naturais adjacentes, mastigação por vezes difícil e perturbação da fala.

Conservar a estrutura óssea.
Ao solicitar o maxilar no local onde foi colocado, o implante contribui para preservar o osso, limitando a perda óssea consecutiva à extração dos dentes. Por outro lado, a carga a que o osso é submetido durante a mastigação estimula-o e impede a sua reabsorção. 

Reencontrar um bem-estar, uma qualidade e um conforto de vida.
Os implantes integram-se no osso e são sentidos como dentes naturais e não como um corpo estranho, proporcionando uma sensação de conforto. O paciente retoma a confiança em si próprio quando fala, come ou ri.

Garantir uma longevidade acrescida, substituindo de forma fixa e permanente os dentes em falta.
O sucesso a longo prazo dos implantes é assegurado a partir do momento em que a colocação dos implantes é realizada de forma profissional, que é obtendo um acompanhamento regular pelo dentista e tendo uma higiene oral rigorosa pelo paciente.

PORQUE É QUE SE PERDE OS DENTES ?

As causas podem ser múltiplas:

  • Cárie avançada.
  • Acidente (fratura em consequência de um choque).
  • Inflamação dos tecidos de suporte do dente (parodontite).
  • Ausência do germe do dente (agenesia).
  • Doença sistémica.
  • Medicamentos, tratamento.
PORQUE É QUE É PREFERÍVEL SUBSTITUIR O OU OS DENTES EM FALTA ?

A ausência de dentes acarreta as seguintes consequências:

  • Perda óssea (o osso não estimulado tem tendência a desfazer-se).
  • Deslocações e complicações eventuais a nível dos dentes restantes.
  • Diminuição da função mastigatória.
  • Problemas de digestão.
  • Prejuízo estético e modificação das expressões do rosto.
  • Dificuldade em falar.

Os implantes dentários permitem mitigar estas complicações, proporcionando uma solução estética e funcional.

QUAL É A DIFERENÇA ENTRE IMPLANTE E PONTE ?

A colocação de implante não é a solução incontornável mas, se as condições o permitirem, é a solução que deve ser privilegiada. Contrariamente à colocação de ponte, o tratamento por implante não necessita de se apoiar nos dentes vizinhos. Os dentes sãos adjacentes são assim preservados, dado que não têm que ser desgastados.

Além disso, uma vez que a ponte não transmite forças de mastigação ao osso, pode dar-se uma deterioração do osso.

Pelo contrário, a ancoragem do implante no osso exerce uma influência mecânica sobre o tecido ósseo, o que facilita a formação de osso novo.

Ao servirem de ancoragem, os implantes permitem assim substituir os aparelhos amovíveis por uma prótese fixa.

QUAIS SÃO OS MATERIAIS UTILIZADOS ?

O titânio impôs-se maioritariamente como o material de referência, dada a sua elevada resistência e a sua excelente tolerância no organismo (compatibilidade).

EXISTEM CONTRAINDICAÇÕES À COLOCAÇÃO DE IMPLANTES ?

Embora num considerável número de casos a colocação de implantes é a solução a preconizar, existem certos fatores de risco que é necessário ter em conta:

Contra indicações de ordem geral:

  • Paciente demasiado jovem (o crescimento ósseo deve ter terminado).
  • Mau estado de saúde geral.
  • Cicatrização difícil.
  • Gravidez.
  • Bruxismo severo (ranger noturno dos dentes).
  • Tabagismo, toxicomania, ou alcoolismo severo.
  • Patologias graves (cancro, sida declarada…).
  • Outras doenças (problemas cardíacos, diabetes não estabilizada, depressão…).

Contra indicações de ordem local:

  • Mau estado da boca ou da gengiva.
  • Higiene bucodentária insuficiente.
  • Volume ósseo insuficiente (poderá ser considerado um enxerto ósseo).
  • Má qualidade do osso (densidade do osso insuficiente) Presença de obstáculos anatómicos (seios ou nervo dentário).
  • O exame aprofundado realizado pelo profissional permitirá avaliar todos estes fatores de risco. A colocação de implantes só será considerada caso se trate da solução mais apropriada e se as hipóteses de sucesso forem elevadas.
EM QUE CONSISTE A INTERVENÇÃO CIRÚRGICA ?

A fase cirúrgica consiste em inserir os implantes dentários no osso maxilar. Realiza-se sob anestesia local e é indolor.
A duração da intervenção varia entre 30 minutos a 2 horas, consoante a complexidade da intervenção (número e localização dos implantes, volume de osso disponível…).
O profissional faz uma incisão na gengiva e broca o osso no local destinado a receber o implante. Pode então ser considerado um aumento da massa óssea quando o volume de osso necessário à colocação do implante for insuficiente. Uma vez colocado o implante, a gengiva é fechada e suturada. Uma vez concluída a cicatrização (denominada “osteointegração”), será fixada uma prótese no implante.

A INTERVENÇÃO CIRÚRGICA É DOLOROSA ?

Uma vez que a colocação dos implantes geralmente é feita sob anestesia local, a intervenção revela-se completamente indolor.
As eventuais dores pós-operatórias poderão ser aliviadas por comprimidos analgésicos.

QUAL É A VIDA ÚTIL DE UM IMPLANTE DENTÁRIO ?

Os implantes dentários têm uma vida útil elevada, ou mesmo ilimitada. Estudos clínicos realizados a longo prazo atestam que os implantes dentários teoricamente não têm duração de vida limitada, desde que seja respeitada uma boa higiene bucodentária e seja assegurado um acompanhamento profissional regular.
Só um mau estado de conservação do osso poderia reduzir a vida útil dos implantes.

QUAIS SÃO AS PRECAUÇÕES A TOMAR APÓS AS INTERVENÇÕES ?

Uma boa higiene bucodentária, assim como um acompanhamento regular, são determinantes para garantir a longevidade dos implantes a longo prazo. Em caso de higiene bucal insuficiente, os implantes ficam mais sujeitos a infeções que os dentes naturais.

WhatsApp

Morada

Conde Saúde
Lugar do Pindelo, 81
4480-134 Árvore
Vila do Conde | PORTUGAL

Entre em Contacto!

3 + 12 =